Manaus

Prefeitura de Manaus alerta sobre importância de vacinar crianças contra a febre amarela

Compartilhe

Manaus – A Prefeitura de Manaus orienta a população sobre a importância de vacinar as crianças menores de um ano contra a febre amarela (FA), doença infecciosa que em sua forma grave pode levar à morte. Embora a capital não registre casos confirmados da doença desde 2001, Manaus está próxima de áreas de floresta, ambiente em que o vírus circula, o que aumenta o risco de transmissão.

A vacina contra a febre amarela está disponível nas unidades gerenciadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e deve ser recebida aos 9 meses de idade, com uma dose de reforço que deve ser tomada aos quatro anos.

Dados da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, Ambiental, Zoonoses e da Saúde do Trabalhador (DVAE) apontam que a cobertura vacinal em Manaus está abaixo da meta de 95% preconizada pelo Ministério da Saúde desde 2017, quando o índice de cobertura de quase todas as vacinas do calendário nacional começou a cair no país. No ano de 2021, a cobertura em Manaus foi de 57,5%, enquanto que no ano passado foi de 66,73%.

A vacinação é uma barreira importante para impedir as formas graves da doença que incluem manifestações como dor de cabeça, febre alta, calafrios, cansaço, dor muscular, náuseas e vômitos, dor no corpo, olhos, pele amarelada e até sangramento na gengiva e em outras partes do corpo como nariz, estômago e intestino, que podem levar a pessoa à morte.

O subsecretário de Gestão da Saúde da Semsa, Djalma Coelho, enfatiza a missão dos pais e dos responsáveis em proteger as crianças.

“Apelamos aos pais e responsáveis que cumpram essa missão e levem seus filhos para tomar o imunizante. A vacina é gratuita e está disponível em nossas unidades. Nós reforçamos que o vírus que transmite a febre amarela também circula na cidade e a vacina impede que a doença comprometa a vida das crianças”, assinala.

Sintomas

O chefe da Divisão de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores da Semsa, Alciles Comape, explica que os sintomas da febre amarela são parecidos com os da dengue, mas afetam diretamente o fígado. “Quando a pessoa não é vacinada a chance de vir a óbito é muito grande”, explica.

A transmissão da doença ocorre tanto na área silvestre quanto na área urbana. Alciles explica que quando uma pessoa entra na mata sem proteção durante o dia, pode ser picada pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes. Esses mosquitos por sua vez, se tornam vetores quando picam macacos infectados. Embora a doença não seja transmitida de pessoa para pessoa, seus sintomas debilitam muito e em quadros graves, pode ser fatal”, acrescenta.

Outra situação que pode ocorrer é quando a pessoa é picada na área de mata e vem para a área urbana. Ao ser atacada pelo mosquito Aedes aegypti, que também é vetor da dengue, do zika vírus e da chikungunya, o inseto se infecta e tem potencial para transmitir a febre amarela.

“Quem precisa entrar na mata precisa se proteger com uma camisa de manga comprida, calça, chapéu e repelente. Além disso, a pessoa deve estar vacinada”, orienta Alciles.