Brasília Amapá |
Manaus

Após matéria do CM7 advogado que estupr0u seis mulheres tem OAB suspensa; veja decisão

Compartilhe

Manaus – O advogado Luiz Felipe da Luz de Queiroz, que estuprou ao menos seis mulheres da mesa família, teve a carteira da OAB suspensa neste mês. A suspensão ocorreu após o Portal e TV CM7 Brasil cumprir seu papel com a sociedade e denunciar a inércia da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas (OAB-AM) sobre o caso.

O documento datado do dia 4 de março deste ano mostra que o procurador do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-AM, Carlos Aguiar Junior, decidiu pela suspensão de Luiz Felipe por não haver outra medida a ser tomada, além de aplicar as punições cabíveis. Ainda na decisão, Aguiar diz que o advogado feriu os preceitos da advocacia.

Entenda o caso

Em abril deste ano, o Portal e TV CM7 Brasil trouxe à tona a denuncia sobre Queiroz. Uma das vítimas dos estupros cometidos pelo advogado, que foi preso em fevereiro deste ano, tentou suicídio no dia 4 de abril, após sentir-se desamparada pela Justiça, principalmente pela seccional amazonense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM).

Na época, mesmo diante da grave condenação por crimes de estupros em série contra mulheres, o advogado continuava registrado na OAB-AM. A advogada Adriane Magalhães, que entrou com requerimento no órgão pedindo a cassação do registro de Luiz Felipe, disse que nada foi feito até aquele momento.

Brasil em choque 

O caso de Luiz Felipe da Luz de Queiroz chocou o Brasil quando veio à tona. O advogado, de 49 anos, foi condenado a 45 anos de prisão por abusar sexualmente de pelo menos seis mulheres pertencentes a uma mesma família. Os crimes remontam a alguns anos atrás e foram corajosamente relatados pelas vítimas.

Uma das vítimas, agora com 29 anos, revelou ter sido abusada dos 8 aos 17 anos. Sua denúncia desencadeou um processo judicial que revelou um padrão horrível de abusos por parte de Luiz Felipe, que se aproveitava de sua posição como policial militar para ameaçar as vítimas com uma arma de fogo, colocando suas vidas em perigo caso resistissem.

Após a coragem da primeira vítima em denunciar, outras cinco mulheres da mesma família revelaram terem sido vítimas do mesmo agressor. Luiz Felipe estava foragido desde 2012, ciente de que era procurado pela polícia. No entanto, um mandado de prisão expedido no ano passado finalmente levou à sua captura.

A prisão ocorreu no bairro Parque 10 de Novembro, em Manaus, e Luiz Felipe será encaminhado para cumprir a pena em regime fechado, conforme determinado pela Justiça.

O caso de Luiz Felipe da Luz de Queiroz foi desvendado durante a operação Sentinela, realizada pelo 28° Distrito Integrado de Polícia (DIP), com apoio do Departamento de Inteligência de Polícia Judiciária (DIPJ/PC) e Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai). O delegado Wenceslan Queiroz, titular do 28° DIP, destacou a crueldade dos crimes cometidos pelo advogado não devem ser deixados impunes.


...........

Siga-nos no Google News Portal CM7