Manaus 32º
domingo - 29 de maio de 2022

Luto, choro e lágrimas: filha e namorado se consolam em missa de 7º Dia de servidora do TRT

Compartilhe
Luto, choro e lágrimas: filha e namorado se consolam em missa de 7º Dia de servidora do TRT

Manaus –  Durante a missa de 7º Dia de Silvanilde Ferreira Veiga, servidora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a filha Stephanie Veiga e o namorado Igor Gabriel Melo e Silva foram flagrados aos prantos, consolando-se. A cerimônia foi realizada na Paróquia Militar Nossa Senhora do Sameiro, na Ponta Negra, onde as últimas homenagens para a servidora foram prestadas.

As investigações sobre o caso completaram sete dias, desde que o corpo da servidora foi encontrado pela filha no chão do apartamento em que apenas as duas tinham acesso, na zona Oeste de Manaus, no dia 21 de maio.

Mistério

O caso ganhou grande repercussão devido às características do crime e todos os mistérios que o cercam. Ao longo da última semana de investigações, os policiais isolaram o apartamento em que a servidora do TRT foi assassinada, e recolheram indícios na cena do crime como uma faca, um punhal, uma camisa ensanguentada e 10 HDs do controle de segurança do condomínio, onde 160 câmeras estão sendo analisadas pelos peritos.

Crueldade

Conforme a perícia, Silvanilde Ferreira foi morta com requintes de crueldade, sendo asfixiada e morta com 12 facadas. Uma das perfurações de golpe de faca quase atravessaram o pescoço da vítima.

Pedido de Socorro

Segundo testemunho da filha, ela recebeu uma mensagem de SOS da mãe e mandou duas mensagens em retorno, porém não obteve resposta. Em seguida, pediu ao porteiro do condomínio que fosse ao apartamento onde moravam para verificar se estava tudo bem. Ao retornar, ele informou que ninguém atendia e que os veículos estavam todos na garagem.

Reviravolta

Em investigação conduzia pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), análise pregressa do íntimo da vida da vítima e familiares conduzem a linha de investigação para uma grande reviravolta, no qual a filha e o genro são tidos como os principais suspeitos.

Segundo o delegado Ricardo Cunha, os depoimentos mais longos foram os da filha, Stephanie Veiga, que encontrou a mãe morta no apartamento, e do genro, Igor Gabriel Melo e Silva. Ambos duraram cerca de cinco horas e foram de extrema importância para o andamento da resolução do caso, visto que os dois eram os mais próximos da vítima.

Além disso, a servidora do TRT-AM teria realizado, a pedido da filha, um empréstimo no valor de R$ 300 mil para o genro, Igor Gabriel. O valor teria sido utilizado para quitar dívidas da empresa dele em consequência da pandemia de Covid-19.

O empréstimo de alto valor acabou comprometendo a renda de Silvanilde, uma vez que Igor Gabriel não estaria honrando com o pagamento das parcelas. A diretora da 15ª Vara do Trabalho estaria cobrando a filha e o genro, o que causava discussões acaloradas entre o trio, marcadas pelo forte temperamento da filha Stephanie.

A suposição é de que a filha e o genro, teriam encomendado a morte de Silvanilde para se livrar das cobranças.

Morte do marido é relembrada

No dia 29 de setembro do ano de 2019, a servidora Silvaneide Veiga, registrou um Boletim de Ocorrência noticiado a morte do ex-marido que foi encontrado dentro da residência em que eles moravam na zona Oeste de Manaus.

O caso veio à tona após três anos devido a repercussão do cruel assassinato da servidora. Em 2019, Silvaneide teria encontrado o ex-marido, Alírio Delgado Miranda, morto dentro da casa onde ele morava no bairro Lírio do Vale, zona Oeste de Manaus.

Silvaneide e Alírio não estavam mais casados, mas ele era o pai da nutricionista Stephanie Veiga, que na época morava com a mãe no condomínio Gran Vista, localizado no bairro Ponta Negra, zona Oeste da capital. O lugar é o mesmo onde Stephanie encontrou a mãe morta.

O Portal e TV CM7 Brasil aguarda mais informações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), sobre qual teria sido a causa da morte do ex-marido da servidora.

Vitória Supermercados